Arquivo

Posts Tagged ‘Ser Benfiquista’

Está quase a começar…

O arranque da nova época mas sou sincero nunca estive tão indeciso na compra do bilhete de época como este ano.

Antes de se começar a acusar de mau benfiquismo, digo apenas que é precisamente a única coisa que me  levou a renovar é precisamente o meu benfiquismo incondicional. De resto muito pouca coisa cativa-me neste lodo em que se transformou o futebol e mais em particular em Portugal. Não consigo ficar alheio e inclusivé sinto-a na pele, toda esta situação socio-económica em que vivemos, subidas de IVA, IRS, combustíveis, alimentos, etc.

A ausência de valores socio-culturais de muitos contrastam com as extravagâncias e as mordomias de outros. Cada vez mais pessoas desempregadas e as que têm trabalho perdem dia após dia condições e cada vez se trabalha mais precariamente. Renovei também porque felizmente ainda sou daqueles que ainda não engrossou a já vasta lista de desempregados.

Mas mais importante ainda, estou à espera de para finais de Outubro alargar a família, mais um benfiquista que irá nascer se tudo correr bem, curiosamente na barriga da minha esposa cada vez menos sportinguista, por sinal. O meu segundo filho irá nascer numa conjuntura muito negativa para todos nós, as expectativas são muito baixas e a luz ao fundo do túnel ainda é uma simples ilusão, mas tenho de acreditar que seremos mais fortes e conseguiremos inverter esta situação assim haja saúde, educação, cultura e trabalho.

Não quero que o meu filho seja apanhado nesta “teia”, sei que isto pode não cair bem nalguns radicais livres que por aí andam e adoro o simples facto que ele seja do Benfica e sócio do maior clube do mundo, mas não sei se quero que o seu benfiquismo seja tão grande como o do seu benficoólico pai, porque as regras do jogo simplesmente deixaram de ser limpas, são tudo menos honestas e transparentes e isto colide com os tais valores que quero transmitir aos meus filhos.

O maior valor que transmitirei ao meu filho será o de ser sócio do Benfica assim que nascer, tal como o irmão é,  mas a minha interferência começará e acabará aí, a sua ligação com o Benfica será o que o destino escolher, sempre com a clara intenção de os ver viver num mundo mais justo, pacífico e civilizado.

Não sei se entretanto existirá alguma forma de terapia ou antídoto para um Benficoólico como eu, mas a verdade é que para mim a chama do futebol português está cada vez mais extinta contrastando com a chama do Benfica essa é intocável e eterna.

Alteração aos Estatutos

De todos um…

Revejo-me no sentimento desta criança. Não é vergonha nenhuma vê-la chorar, no fundo é “apenas” o exteriorizar de um sentimento. A vergonha fica para quem arranca a genuinidade deste e outros sentimentos de forma incompetente, superficial e corrupta e assim se vai alimentando de todos eles.

O sentimento genuíno desta criança vale de certeza muito mais que todos os Porshes, Ferraris, mansões, roupas de marca e tudo o que o dinheiro possa comprar que jogadores, árbitors, treinadores, dirigentes, empresários, mundo do futebol em geral passeiam por este mundo fora.

Assim e para que este momento não seja em vão, proponho uma alteração aos estatutos de candidatura à presidência do Benfica: permitir que todos os adultos que tenham sido “apanhados” a chorar em criança pelo Benfica possam efectivamente representar a instituição no seu mais alto cargo, pois assim assegura-se que já mostraram mais Benfiquismo em 10 segundos que outros já com 15 anos ou mais de sócio…

Categorias:Opinião Etiquetas:, ,

A Estupidificação do Futebol Moderno

Nunca discutas com um idota. Ele arrasta-te até ao nível dele… e depois gánha-te em experiência.

A velha máxima popular ganha melhor forma nestas alturas. O futebol segue a sociedade em que vivemos.

São nestas alturas em que o escape mais directo e natural será dizer: BASTA! Que mal fiz eu para aturar isto?

Basta de ver o lixo a florescer no futebol moderno português e mundial, presidentes da liga e clubes envolvidos em casos de corrupção, arbitragens consecutivamente tendenciosas, empresários sem escrúpulos, dirigentes assumidamente corruptos e outros incompetentes sem um pingo de honestidade, equipas do campeonato profissional de futebol que entram em campo com 8 jogadores, outros clubes só jogam e treinam quando os seus jogadores recebem, outros jogam sem receber, tivémos árbitros que se recusaram a apitar certa e determinada equipa, nomeações habilmente escolhidas, estádios às moscas e outros a arder, redes de espionagem a árbitros com a conivência das respectivas direcções, imprensa hipócrita controlada por interesses privados destilando grandes verborreias sem intervalar, faltas de luz no meio dos jogos, treinadores incompetentes sem qualquer capacidade de gestão dos recursos, enfim um sem número de tristezas a que vamos assistindo neste lodo em que está mergulhado o futebol português e mundial também.

Não me posso admirar quando se vê cada vez menos pessoas inteligentes e racionais a seguir o futebol, as armas com que cada um se move não são as mesmas, é como travar um duelo onde um tem uma arma de fogo e o outro uma espada, simplesmente não é justo, o campo de batalha é travado por gente mesquinha que se move por interesses particulares e tal como o resto do país que vive em constante manutenção de aparências o futebol está de real tanga. No entanto, prefere-se assobiar e cantar para o lado do que encarar os problemas reais que existem e onde tudo é  fingido e forçadamente escondido, é algo que vai começando a estar instituído e vai começando a ganhar raízes. Hoje mais que nunca a incompetência e a hipocrisia reina e não há sinais de tréguas.

Agora falando do Benfica, temos que reconhecer a nossa incompetência, tal como verificamos a incompetência das agremiações de contumil e de alvalade e dos árbitros, dirigentes, etc. A grande diferença de incompetência aqui está no ganhar/perder campeonatos e estes são coisa que ultimamente não tem parado muito pelas nossas bandas e em que num passado não tão longínquo se passava precisamente o contrário. Gostava de dizer ao presidente LFV para ir dar uma volta, mas depois pergunto-me quem na sua plena racionalidade e reconhecidamente íntegro, honesto, líder, consensual e intocável estará disposto a abraçar a presidência da nossa instituição? Quem é que se atreverá a trocar a sua íntegra vida para mergulhar neste fosso de imundice? Gostava de acreditar que esse alguém existe e que de uma vez por todas se chegue à frente e que tenha a capacidade e discernimento para inverter esta espiral de ver anos a passar sem ser campeão em que mergulhou o Benfica, que consiga também pôr alguma classe e ao mesmo tempo que se distancie de todo este javardo sistema, que reúna todas as nossas forças e mística os poderes para devolver as vitórias ao Sport Lisboa e Benfica!

Já à muito tempo que desisti de assistir a debates televisivos sobre o futebol, são muito raros os artigos que leio na imprensa desportiva, não me trazem de forma alguma valor acrescentado, a minha revista desportiva resume-se a 3 ou 4 ilustres escribas e alguma blogoesfera do Benfica em geral, não pactuo com sport tv’s, logo é muito raro assistir a um jogo que não o do Benfica, a ex-selecção do Madaíl é coisa que simplesmente também não me assiste à já algum tempo, mas bebo sempre cerveja Sagres, canto mais alto, com mais intensidade e sentimento o Hino do Sport Lisboa e Benfica que o hino nacional, o único fio condutor que ainda me liga ao futebol é o Benfica e claro está tudo o que gira à sua volta, junto com umas pitadas de Premier League. Se fôr preciso desistirei com muito maior facilidade do futebol do que ser e viver o Benfica…

Desistirei de ser do Benfica quando morrer ou, caso se prove o contrário… Nunca!

Por isso mesmo, hoje e mais que nunca, se me perguntarem se gosto de futebol, responderei com a plena convicção:

-Não! Não gosto de futebol, gosto apenas e só do Glorioso Sport Lisboa e Benfica!

%d bloggers like this: