Arquivo

Posts Tagged ‘Paços de Ferreira’

Um jogo sobre brasas

Vitória arrancada a ferros, por culpa própria e por culpa mais uma vez duma vergonhosa arbitragem, como é que se pode considerar que aqueles dois lances sejam interpretados como simulações dos avançados?!?!? É que se não visse era uma coisa, agora transformar um pénalti nítido em hipotéticas simulações e dar cartão ao avançado, isto só pode ser delírio… Acho incrível a facilidade com que outras equipas beneficiam de grandes penalidades e nós pelo contrário não sei o que é preciso para ter um pénalti a favor.

Agora falando da nossa equipa, nota-se de facto a busca de uma tranquilidade perdida, os últimos resultados abalaram e muito a equipa que tarda em encontrar o caminho da baliza e depois não consegue estabilizar. Todos vimos o caso muito mal parado, um Paços muito aguerrido e com um Melgarejo em muito alta rotação para nós, tivémos a felicidade uma vez com o poste e outra com o Artur de não sofrermos o segundo golo e depois em dois lances dar a cambalhota no marcador, mas até depois de estar a ganhar e de jogar com mais um jogador a equipa jogou sobre brasas, preferiu gerir uma magra vantagem a matar de vez o jogo. Espero que esta vitória seja decididamente o ponto de viragem da série negra de resultados e que arranquemos para uma recta final de campeonato que se avizinha escaldante de forma sempre vitoriosa. O Benfica actuou com o Artur, Máxi, Luisão, Jardel, Capdevila, Jávi, Axel Witsel, Bruno César, Nolito, Saviola e Cardozo, na segunda parte entraram o Nélson, Gaitán e mesmo no final Rodrigo, para os lugares de Nolito, Saviola e Cardozo. Embora a exibição tenha sido conseguida mais pelo esforço e entrega colectiva, na minha opinião destaco a exibição do Witsel, grande pulmão a meio campo e do Nélson que revolucionou a segunda parte, o Artur desta vez penso que valeu pontos.

É uma vitória que vale essencialmente pelos 3 pontos e pela moral e ânimo de vermos os corruptos mais perto, depois daquele roubo que sofremos em casa, o campeonato está relançado até porque esta agremiação sem árbitros já provou que não vale muito.

Anúncios

Mais uma bela noite de verão

Noite de outono mas com sabor a verão tal não foi o calor que se fez sentir no inferno da luz. SÓ 33.500 pessoas tiveram o prazer de ver mais uma vitória folgada do Benfica na liga Sagres, 4 bolas a uma foi o resultado de um jogo só com um sentido, grande diferença de valor que esta noite se fez sentir, aliás esta vitória faz lembrar as de antigamente em que o adversário sai da luz quase sem se mexer, excepção feita a um jogador que até é do Benfica do Paços e de um pénalti que até se poderá aceitar, mas que mais uma vez a convicção e a facilidade de julgamento contra o glorioso é feita sem apelo nem agravo por parte dos árbitros, lembre-se que a 1ª parte acaba com um lance de clara carga sobre o Aimar na grande área onde todos fizeram vista grossa… Mas falemos de coisas bem melhores o Benfica faz golos por medida e ontem foram só 4 mas podíam ter sido muitos mais, noite de glória de Saviola que bisou e que todos esperamos que sirva para afugentar alguma pouca sorte que o tem perseguido e já agora que afugente também aqueles que teimem em assobiar jogadores do próprio clube, ontem marcou 2 e assistíu mais um para o Nolito, com o outro a ser apontado pelo capitão Luisão que se redimíu da falta para o pénalti. Artur foi chamado a intervir uma vez e fê-lo como se tivéssemos marcado um golo já que a cabeçada de Melgarejo levava carimbo de golo que sería do empate, mas ser guarda redes do Benfica é isto, é ser chamado a intervir poucas vezes, mas mostar sempre que está lá presente e atento. Matic substituíu o lesionado Jávi e deu conta do recado embora seja verdade que o oponente não tenha sido muito forte não menos verdade foi a disposição tática muito ofensiva mostrada, até podería trazer alguns dissabores, a verdade é que Matic deu para as encomendas, Emerson e Máxi sempre bem nas alas, Cardozo desta vez não marcou mas assistíu um para o Saviola, Aimar espalha classe por todo o campo e em qualquer altura, foi dele o centro para o golo do Luisão, Garay esteve quase sempre certinho e sem muito trabalho, Gaitán é talvez neste momento o jogador que melhor trata a bola juntamente com o Aimar, Bruno César esteve um pouco mais apagado ainda assim quase sempre interventivo, claro que a vontade de fugir para o meio é muita, mas a qualidade está lá em todo o lado. Uma grande vénia à claque NN boys que numa semana de detenções numa outra claque que se diz legalizada, deram um real show de como se deve apoiar uma equipa e transmitiram os verdadeiros valores de como uma claque se deve comportar, apoiar a equipa e contagiar o resto do estádio para todos juntos fazermos aquele inferno imparável. Todos sentimos que o Benfica está a entrar naquela onda de à 2 épocas atrás, mas ainda falta muito e de certeza que virão muitas armadilhas para superar, mas somos Benfica e acreditamos todos unidos venceremos.

Noite de Contrastes

Uma noite de contrastes foi a que se viveu ontem em Paços de Ferreira, enquanto na Mata Real se joga à bola, nas imediações outros preferem fazer disto tudo menos desporto. Não me admiro nada, que algo corra mal nas próximas deslocações da vara de porcos à capital de Portugal. O incitar à violência já é por demais evidente, se os ataques de cobardes criaturas são para a incompetente polícia resolver, recordo que antes do jogo a polícia soube deter 5 adeptos por escaramuças com a chegada do autocarro do Benfica, já a direcção do clube provinciano tem de se demarcar destes actos dignos de 4º mundo, coisa que bem sabemos… Não vai acontecer. Nem mesmo o maior clube do mundo com os melhores adeptos do mundo poderão ficar indiferentes ao que tem sucedido com as equipas de diversas modalidades e dirigentes da instituição maior que Portugal cada vez que se desloca à província do Porto, por isso se fôr adepto do azul, mantenha-se calmo e não faça muitas ondas é que há malucos para tudo.

Mas falemos de futebol, falar de futebol é falar em Pablo Aimar, é falar em Saviola, é falar em Nico Gáitan, é falar em tango Argentino é falar em espectáculo e de grandes hinos ao futebol que vimos ontem na mata real. O jogo começa com um pénalti derivado de uma agressão de um jogador do Paços a Jávi Garcia, estranha-se só o cartão amarelo e estranha-se também, agora que isto está decidido a excelente observação por parte do árbitro, aliás até nem me espantaría que os árbitros tenham instruções para alargarem os critérios para o jogo que se segue na luz, para depois os andrades poderem dizer que até roubados são campeões, mas isso é só daqui a 2 semanas. Falemos antes da verdadeira essência do desporto e neste caso concreto de futebol, o Benfica que entrou em campo sem portugueses (tal como Mourinho fez um triplete na Itália com um italiano a maior parte das vezes no banco, tal como o Chelsea que nos últimos 18 convocados tem 3 ingleses, tal como todas as equipas no topo dos campeonatos mais competitivos tem entre dois e três jogadores daquela nacionalidade e tal como existem estrangeiros a jogar nas selecções, parece que está difícil assumir que o mundo do futebol mudou, se para pior ou melhor, é discutível, mas o indiscutível é que mudou), como a imprensa gostou de frisar, com Jardel ao lado de Luisão em vez de Sidnei, Carole no lado esquerdo no lugar do Fábio Coentrão e Jara no lugar de Salvio como as alterações ao 11 habitual. Carole, precisava desta oportunidade de jogar com os habituais titulares e se já no jogo com o portimonense tínhamos visto boas indicações, este jogo serve para dar mais força à ideia que Carole é um valor a ter em conta no futuro e o auto golo não mancha em nada a sua boa exibição, de resto a Mata Real, assistíu a um real show de bola por parte do Benfica, quando a armada argentina engata não há muita coisa a fazer para os adversários a não ser… perder por poucos e ontem culminou com cinco bolas a uma a um  Paços de Ferreira que se encontrava à partida para esta jornada em 4º lugar, 4 pontos atrás do Sporting, ou seja por ironia do destino até acabamos por ajudar o outro lado da 2ª circular. Mais dois golões a seguir ao penalti, um por parte de Aimar com 2 toques na bola um para dominar e o outro para finalizar depois de um sublime passe de Saviola e outro um golão daqueles de bandeira por parte do Nico Gáitan que num pontapé em jeito colocou a bola na baliza em arco no ângulo superior oposto ao remate, dão uma vantagem que ao intervalo se cifrava em 3-1 para o Benfica, na segunda parte foi o natural tirar o pé e com Paços a jogar com menos um só se assistíu a alterações no marcador com a entrada do vivo e bem vivo, Nuno “Golos” que marcou mais 2 e que dão o resultado final de 5-1. Nuno Gomes conta já com 5 na contagem pessoal em 88 minutos de jogo no campeonato. Resta dizer que estiveram tantos espectadores no estádio a uma segunda feira à noite e onde o Benfica já não luta por esta competição como com os andrades que moram a 2 passos dali, imaginam como sería se o Benfica ainda lutásse pelo campeonato? Pois…

Para finalizar e se dúvidas existissem:

Ainda há quem me pergunte porque sou do Benfica? Será por causa disto?

Paços de Ferreira x BenficaPaços de Ferreira x BenficaLuisão e Cardozo (EPA/Estela Silva)Paços de Ferreira x BenficaPaços de Ferreira x BenficaPaços de Ferreira x Benfica

Ou será por isto?

Incidentes (Estela Silva/Lusa)Luis Filipe VieiraIncidentes (Estela Silva/Lusa)

Mas eu digo-vos… É por isto, por tudo e ainda por mais alguma coisa, que fui, sou e serei sempre do Benfica, um clube maior que Portugal!

%d bloggers like this: