Arquivo

Posts Tagged ‘Taça da Liga 2011-2012’

Não há 3 sem 4

Quarta vitória consecutiva em 5 edições de Taça da Liga, embora este não seja o troféu mais ambicionado e desejado na nossa vitrine, não deixa de ser mais uma conquista de forma honesta e merecida e onde participam todas as equipas profissionais de futebol em Portugal. Tenho pena de ver benfiquistas a embarcar na conversa de quem teima em desvalorizar a competição, acreditem que lhes custa muito, tal como em tudo, ver o sucesso do Benfica nesta ou em qualquer competição.

O Benfica de outros tempos teria a força de fazer desta taça uma coisa muito mais importante e mais visível que nos dias de hoje. Se perdessemos hoje isso seria uma catástrofe, como ganhámos isto é uma taça sem importância. Tal como Rodrigo disse nas declarações “Se perdêssemos as pessoas iam tratar esta Taça como a Champions League, como vencemos vao dizer que é só a Taça da Liga.”

O Benfica depois de eliminar o fcp nas meias encontrou um Gil Vicente que tinha eliminado o sportem na fase de grupos e o braga nas meias finais e vendeu cara a derrota, era exigido respeito pelo adversário e foi preciso um Saviola sacar de um coelho da cartola, já quando tudo parecía apontar para o empate. De resto de realçar todo o excelente ambiente em que decorreu a final e com os jogadores e adeptos do Gil sempre a aceitar o desfecho com o máximo de fair-play e respeito.

Os golos da noite foram apontados pelo Rodrigo e pelo Saviola, numa noite em que o Benfica claramente mereceu ganhar e alinhou com o Eduardo, Máxi a capitão, Garay, Jardel, Capdevila, Matic, Witsel, Aimar, Bruno César, Rodrigo e Nélson, na segunda parte entraram o Gaitán, o Cardozo e o Saviola .

Resta-nos agora ganhar os restantes 4 jogos do campeonato e depois fazermos o balanço final, infelizmente o mínimo que se exige neste momento é o acesso directo à liga dos campeões, já que só um desastre pode evitar o fcp de escorregar pelo menos 2 vezes no campeonato.

Anúncios

A Reposição da Verdade

Este jogo serviu essencialmente para repor a verdade sobre a diferença dos planteis do fcp e do Benfica, fica provado e sem casos de arbitragem que o plantel do Benfica é efectivamente melhor que o do fcp.

Depois acho uma tremenda piada a forma como a agremiação de Contumil se bate e até se escalona para esta partida, quando assumidamente desvalorizaram esta competição, isto não se verificou no 11 inicial, na intesidade que meteram e até na azia final nas declarações que fizeram.

Se contarmos bem com as opções disponíveis de um lado e outro, o Benfica jogou claramente com jogadores menos utilizados que a agremiação o que reforça mais uma vez a diferença de qualidade entre planteis.

Foi um grande jogo e com grande emoção, incerteza no resultado e em que o Benfica teve algum azar com os postes e a barra, conseguiu-se recompor depois de estar em desvantagem e com toda a carga negativa do último jogo e conseguiu com muita garra e técnica dar a volta ao marcador. O Benfica alinhou como 11 inicial, Eduardo, Maxi, Jardel, Luisão, Capdevilla, Jávi, Witsel, Nolito, Aimar, Bruno César e Nélson, na segunda parte entraram Cardozo, Gaitán e Saviola. Os golos foram apontados pelo Maxi, Nolito e o inevitável Cardozo. Os jogadores foram enormes, destaco as exibições do Maxi, Nélson, Aimar e Witsel.

Se os jogadores da agremiação de Contumil tiverem vergonha na cara vão-se fazer um favor a eles próprios de perder mais pontos no campeonato para deixarem a melhor equipa poder ser campeã, espero que esta derrota lhes corroa a alma e que se lembrem que sem Proenças nunca na vida lá iam. Uma palavra também para a excelente e irrepreensível arbitragem do curiosamente do Porto Artur Soares Dias, sem espinhas, sem expulsões e sem casos, eu arriscaría a dizer que assim, este árbitro não vai ter grande futuro na arbitragem portuguesa, não parece suficientemente manhoso…

 

Categorias:Futebol Etiquetas:,

Cliente que se segue


Ao contrário do que se poderia esperar, o Benfica acabou por fazer um belíssimo jogo e acima de tudo com relativa tranquilidade. Num onze menos rodado que o habitual a equipa acabou por vencer o Marítimo por 3 a zero, que até agora e nesta época foi a única que bateu o glorioso. Para este desfecho contribuiram e muito a linha ofensiva e um Nélson Oliveira muito inspirado e sempre incisivo, fez o primeiro numa assistência do Saviola. O Benfica alinhou com o Eduardo, Máxi, Garay, Jardel, Capdevilla, Jávi, Pablo Aimar, Nolito, Saviola, Gaitán e Nélson Oliveira. Na segunda parte entraram o Rodrigo, o Cardozo e o Djaló que se estreou de águia ao peito. Rodrigo entrou a tempo de marcar 2 golos e “matar” definitivamente o jogo, após uma expulsão de um jogador do Marítimo por cotovelada ao Jávi.

Foi muito bom vermos um ataque tão jovem e a facturar, esta dupla Rodrigo/Nélson caso o Benfica os consiga suster bem que poderá ser a dupla de ataque futuro para o glorioso, mas como bem sabemos, no futebol actual nada é eterno e resta-nos a nós desfrutar dos momentos que vão surgindo neste presente e é mais uma vez notório que as opções especialmente no ataque abundam em quantidade e qualidade.

Na defesa nota-se que Capdevilla não tem aquele ritmo de jogo ideal mas ainda assim e com mais competição percebe-se que pode muito bem ser o titular do lado esquerdo. A próxima eliminatória das meias finais é jogada na catedral com o fcp e será mais uma boa oportunidade para provarmos que este ano somos a melhor equipa. Carrega Benfica sempre contigo!

Categorias:Futebol Etiquetas:,
%d bloggers like this: